A Allsar

Instituto de Desenvolvimento e Conteúdo surgiu da experiência com as incoerências. Da não conformidade entre o pensado, o observado, o criado e o executado. Das cores e das dores resultantes de práticas e comportamentos de gestão, desenhadas em telas hierárquicas, fragmentadas e lineares. A cada dia, o avanço da ciência e das tecnologias de informação e comunicação nos mostra que as pessoas dependem umas das outras, e que cada ação individual exerce impacto no coletivo, no planeta e nas futuras gerações. Ainda assim, como já dizia Bohm em 1994, mesmo que a intenção não seja essa “[...] as pessoas tentam fingir que não é o caso” e acabam por repetir comportamentos que fragmentam e fortalecem processos destrutivos.  

Em 2005, o processo de criação do Allsar, teve início com Sônia Araújo, professora apaixonada por pessoas, e vocacionada à Educação de corpo, mente e alma. Naquele ano, ela vivenciava a implosão de uma Instituição de Ensino Superior no Brasil. Implosão esta, que fez sucumbir centenas de estudantes, professores, gestores, familiares, comerciantes, comunidades e projetos socioeducativos, que atendiam uma imensa diversidade de pessoas com múltiplas necessidades. Incoerências entre a realidade concreta e os discursos de educação de qualidade, inclusão e inovação, de modo geral, também eram observadas em várias Instituições de ensino, do básico ao superior. A parte, os motivos econômicos, sociais e políticos, a fragilidade do ensino no Brasil, com seu sistema pouco flexível e quase nada inclusivo, continuava favorecendo a exclusão de milhares de jovens da escola, principalmente durante o ensino médio, aumentando significativamente, o desafio da redução das desigualdades e vulnerabilidades na qualificação para o trabalho, e nas relações sociais. Emerge nesse momento, a primeira visão disruptiva que idealizou o Allsar.

Inquietações, observações e experiências vividas ao longo de mais de duas décadas, circulando em várias universidades, empresas, Ongs e comunidades localizadas em regiões de alta vulnerabilidade social, incluindo comunidades indígenas no Brasil, deram suporte a elaboração do Projeto. Inicialmente, o projeto foi denominado “SignificAtiva”, e começou a ser desenhado em 2006. A proposta abraçava abordagens do movimento corporal, das emoções, da aprendizagem significativa, e de metodologias ativas de ensino e aprendizagem,  tendo como foco central, os sistemas complexos. Uma instituição de visão sistêmica abrangendo as dimensões física, cognitiva, emocional, social, espiritual e de sustentabilidade.

Seguiram-se sete anos de mergulho no “U”. Descendo por estudos teóricos e pesquisas realizadas durante o processo de Doutoramento em Ciências, na Universidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Medicina, atingiu dimensões mais profundas, principalmente, nas abordagens da: psicobiologia, medicina comportamental, psicofisiologia, neurociência, motricidade humana, educação, esportes, pensamento sistêmico, design thinking e teoria U. Ao mesmo tempo, a imersão contemplava experiências na vida prática. Com a mente aberta, o coração aberto, e a vontade totalmente aberta, para sentir, perceber, conhecer, deixar ir para deixar vir, e assim, capturar o futuro que emerge, as braçadas percorreram: Escola de Negócios, Instituições de Ensino Superior, Organizações públicas, privadas e do terceiro setor, e comunidades economicamente e socialmente vulneráveis. A presença social que sempre falou muito alto exigiu mais três anos, de planos, projetos, protótipos, experimentações, e avaliações de resultados, para melhor compreensão de como se dão as conexões ocultas no campo das relações humanas e sociais no mundo do trabalho, principalmente, no que se refere as bases comportamentais e éticas no âmbito global. Nesse contexto, a contribuição do diálogo com vários profissionais, especialistas nas mais diferentes áreas do conhecimento, fortaleceram crenças e valores. Essas experiências, ampliaram a percepção do sistema interno e externo, cristalizando a visão e fortalecendo a intenção profunda, deixando ir, para vir o “Allsar”.

ALL, no inglês, significa tudo, no Allsar, significa que todas as pessoas,  e organizações podem ter acesso as informações e aos conteúdos que são discutidos nos espaços científicos e acadêmicos, para que assim, possam ampliar suas chances de desenvolverem seus potenciais com sucesso. SAR, significa - soluções assertivas que resolvem - já que nem toda solução resolve uma questão. Alinhado às exigências da vida em redes sociais e do mercado de trabalho, a força da ciência, as tecnologias de informação e comunicação, e a valorização da vida, o Allsar está comprometido com a qualidade de ações, e uso de informações para a excelência de conhecimentos com propósito. Propósito de compartilhar saberes científicos, e experiências práticas de vida, facilitar conexões entre pessoas, organizações e conteúdos, e assim, colaborar com o desenvolvimento de potenciais humanos.

Por meio da Presença, da troca compartilhada de ideias, dos conteúdos científicos e de práticas integrativas corpo-mente-espírito-universo, as ações, serviços e conteúdos do Allsar, buscam dialogar e conectar o EU consigo mesmo, com a terra, com os outros, com os recursos naturais e com o ambiente complexo, principalmente, a partir de aspectos relacionados a atenção plena, ao auto-gerenciamento do estresse e da ansiedade, a produção colaborativa e a socialização de conhecimentos. Busca atender as expectativas dos indivíduos e das organizações no futuro presente, na realidade que os rodeia, e nos caminhos de um mundo potencialmente melhor para todos.

Os seres humanos são seres sociais, que aprendem principalmente com a troca de experiências vivenciadas em grupos. A arte de viver em sociedade requer competências, habilidades e atitudes colaborativas, que podem ser assertivas, na medida em que o repertório de conhecimentos possa ser ampliado, diversificado e constantemente compartilhado com o universo. È por isso que elegemos o amor, a ciência, a compaixão e a cultura de paz, como alicerce para nos tornarmos uma pequena parte do campo global de iniciativas, que contribuem, estimulam, e impulsionam a força do “NÓS”... a partir de uma conexão profunda com o “EU”, e com muito amor ao sistema “Bio”.

Todos nós podemos voar mais alto!

Você pode voar mais alto!


Nosso Propósito

Compartilhar saberes e experiências práticas da vida. Facilitar a democratização do conhecimento acadêmico, aproximando das pessoas e organizações, os conteúdos científicos e tecnológicos de alta qualidade, que circulam nas melhores Universidades do Brasil e do mundo. Dialogar e conectar o EU consigo mesmo, com a terra, e com o NÓS, para que todos possam criar, compartilhar, inovar e alçar voos mais altos, na vida pessoal, social e profissional.  

Nossos Serviços

São estruturados e desenvolvidos por meio de estudos criteriosos e especializados, para assessorar e apoiar nossos clientes na busca das soluções mais assertivas

Nossas Práticas

São direcionadas às resoluções que gerem excelência de resultado, bem-estar e melhoria na qualidade de vida coletiva. 


Missão

Somos pessoas que gostam de pessoas, e acreditam no movimento como um sistema base para que os conhecimentos da Ciência, Tecnologia e Inovação, que circulam nas melhores Universidades do Brasil e do mundo, possam ser conectados a todos os processos de desenvolvimento humano e social, para que todos possam alçar vôos mais altos na vida pessoal, social e profissional. Aproximar estes conteúdos, das pessoas e das organizações, democratizando o conhecimento acadêmico e a Qualidade é nossa missão.

Valores

Acreditamos que o processo de desenvolvimento, em todas as suas etapas, depende de constante aprendizagem colaborativa, de adaptação as mudanças naturais ao longo do ciclo de vida, e, da compreensão de como o Ser interage consigo mesmo, com o outro e com o meio ambiente. Integridade, ética, igualdade, profissionalismo, sustentabilidade, amor ao próximo e cultura de paz são valores que não abrimos mão.